Páginas

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Dicas: Criando Encontros



Que mestre não fica contente com seus jogadores comentando um encontro tempos depois? Mesmo que alguns detalhes fujam do controle (como aquele acerto crítico no momento decisivo), o primeiro passo para um encontro memorável é ter um bem construído.

Nesta postagem eu trago alguns conceitos que mantenho em mente sempre que estou criando uma aventura, e consequentemente, seus encontros. Apesar de básicos, eu os considero essenciais e espero que auxiliem mestres iniciantes que tenham dificuldades neste processo de criação.

  • Contexto: o encontro deve se encaixar na aventura, fazer sentido em um cenário geral (tema, cenário, proposta, entre outros). Caso contrário, você pode acabar prejudicando a imersão dos jogadores. Mas lembre-se, nem sempre este sentido precisa ser óbvio, é até interessante que você deixe algumas lacunas para que os jogadores tomem suas próprias conclusões.
  • Propósito: nem todo encontro precisa conduzir a história da aventura adiante ou ter um grande vilão, mas um encontro não deve ser apenas uma desculpa para um combate (até mesmo encontros aleatórios possuem um propósito, mesmo que seja apenas apressar os personagens ou dar maior verossimilhança para a masmorra/cenário). 
  • Ambiente: mesmo em uma sala comum, é interessante que nela tenha alguns elementos com que os personagens possam interagir. Como uma mesa que pode ser virada para ganhar cobertura, um lustre que pode ser derrubado ou um barril que pode ser empurrado contra os inimigos. Isso incentiva e cria situações interessantes. Combates em áreas mais incomuns ou em situações extremas, como em uma ponte num penhasco durante uma ventania, em um navio durante uma tempestade, em uma praça da cidade cheia de pessoas ou sobre rochas em movimento em um mar de lava também são interessantes, mas devem ser usados em uma menor proporção, sendo a exceção e não a regra (dica: use os perigos naturais, presentes no Guia de Armadilhas). 
  • Diversidade: um encontro não precisa ser um combate, mas sim uma oportunidade para testar outras habilidades dos personagens (e dos jogadores!). Encontrar uma saída de uma densa floresta, sobreviver a uma armadilha ou conseguir uma informação em uma cidade podem ser ótimos desafios. Em encontros de combate, tente diversificar os oponentes, além de utilizar criaturas diferentes tente deixá-las mais únicas com características próprias (dica: use os modelos, presentes no Bestiário).
  • Recompensa: pontos de experiência são importantes, mas é interessante que encontros forneçam outras formas de recompensa, e não necessariamente tesouros (aliás, nem toda criatura carrega tesouros), os personagens podem descobrir informações sobre a masmorra, sua história e seus habitantes, talvez consigam um aliado. O importante aqui, assim como nos tópicos anteriores, é diversificar.  

 

Encontros Injustos


Dificuldade não é injustiça, a vida de uma aventureiro não deve ser fácil. Então o que faz um encontro ser injusto?

Imposição, é isso que faz de um encontro algo injusto. Saber quando fugir ou quando usar da diplomacia são qualidades de um bom jogador, e o mestre não deve tirar isso dele, exceto se for em consequência de suas próprias ações. Se, sem aviso, um dragão sobrevoa o grupo matando a todos com sua baforada, isso seria um encontro injusto, mas se o grupo avistou o dragão e atirou uma flecha nele, a escolha foi deles.

E você, tem alguma dica para ajudar a criar encontros melhores?

4 comentários:

  1. são otimas dicas!
    a parte da recompensa pra mim é isso mesmo q vc disse. Meus jogadores ficam felizes quando recebem um passe de entrada para o castelo, ou um duque fica devendo um favor. vale muito mais que algumas moedas, eheh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Beltrame.

      E uma informação, favor ou até mesmo o renome podem render vários encontros futuros bem interessantes, ou até aventuras completas!

      Excluir
  2. Excelente texto! Esse último parágrafo sobre encontros injustos foi a cereja do bolo.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, valeu Alexandre!

      Não é incomum algumas pessoas confundirem dificuldade com injustiça, por isso achei interessante comentar sobre :)

      Excluir

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...